5 dicas para escolher o melhor enxaguante bucal

7 minutos para ler

Manter os dentes fortes e bonitos é um objetivo que muita gente ainda não sabe direito como cumprir. Se você quer uma dentição saudável é preciso, além de ter cuidado na escolha do dentista ideal, sempre procurar usar os produtos mais adequados para você ou o seu caso específico. Por exemplo, saber escolher e usar um enxaguante bucal com cuidado é um dos 7 mandamentos da boa higiene bucal

O enxaguante bucal é, a princípio, opcional para a maioria das pessoas e particularmente indicado apenas para quem sofre de algumas doenças, como cáries e dentes sensíveis, ou em situações específicas, como no pós-operatório de cirurgias bucais ou doenças na gengiva.

Se você gosta de usá-lo é preciso saber que existem diversos tipos diferentes e alguns, inclusive, podem piorar a saúde dos seus dentes ou até causar problemas no intestino.

Pensando nisso, preparamos este post em que damos 5 dicas para que você possa entender mais profundamente e escolher o melhor enxaguante bucal para você. Confira!

1. Saiba quando o enxaguante bucal é indicado

Segundo o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, os bochechos são indicados apenas em pós-operatório de cirurgias bucais, para quem é propenso a cáries, doenças periodontais, como gengivite, ou para quem possui dentes sensíveis. 

Além disso, é importante ressaltar que o enxaguante não substitui de maneira alguma a escovação ou o uso de fio dental — ele apenas auxilia no combate da placa bacteriana e na manutenção da limpeza dos dentes e da gengiva. 

2. Escolha dentre as muitas variedades

O dentista deve orientá-lo quanto à necessidade e escolha do produto. Por exemplo, para um paciente que fez clareamento dental, indica-se um enxaguante transparente, sem corante, para evitar que os pigmentos manchem os dentes. Os enxaguantes transparentes também são indicados para pessoas que sofrem com diabetes, pois os produtos sem corantes contêm menos açúcar. 

Por outro lado, para crianças a partir dos 4 anos de idade é importante que o produto não contenha álcool ou flúor e que elas sejam instruídas a não engolir o líquido. Também é importante acompanhá-las durante o uso do produto e guardá-lo longe de seu alcance — pois, caso elas engulam o enxaguante, podem vomitar, ter ressecamento no intestino, dentre outras complicações.

Quiz Invisalign

3. Saiba quando ele é contraindicado

O enxaguante é contraindicado para:
  • menores de 3 anos;

  • idosos com severa dificuldade motora;

  • pacientes que estejam em tratamento de radioterapia ou quimioterapia. 

Deve-se ficar atento ao uso dos enxaguantes bucais, pois há muitos casos diferentes que devem ser avaliados antes de escolher e utilizar um produto em específico.

Assim, o melhor é consultar um dentista que possa fazer essa avaliação e indicar o produto ideal para você.

4. Conheça os melhores enxaguantes

O melhor será sempre aquele que for o mais indicado para a sua situação ou o recomendado pelo seu dentista. Porém, é importante saber o que esperar de cada tipo de enxaguante. 

Antissépticos

Os enxaguantes antissépticos são os mais adequados para quem está preocupado com o mau hálito, pois eles deixam maior sensação de refrescância na boca. No entanto, saiba que apenas o uso do enxaguante não é suficiente para resolver de vez o problema, pois, para isso, é necessário consultar um dentista e identificar qual é a causa do desconforto.

Esse tipo de enxaguante tem a função principal de matar bactérias. A princípio pode parecer maravilhosa a ideia de acabar com as bactérias da boca, no entanto, é preciso ter muito cuidado, pois esse tipo de enxaguante também pode acabar matando as bactérias “do bem” que estão presentes na boca, ou seja, aquelas que pertencem à flora natural e são de grande importância para controlar a acidez da boca, bem como dar início ao processo de digestão.

Além disso, os enxaguantes antissépticos são ideais para quem fez ou ainda fará uma cirurgia, pois ele reduz significativamente os riscos de se contrair uma infecção.

Com álcool 

Os enxaguantes com álcool devem ser usados com muito cuidado porque podem ressecar a boca, aumentar a porosidade dos dentes, bem como causar descamamento na mucosa bucal.

Com flúor

Os enxaguantes com flúor são os mais recomendados para o uso cotidiano e para as pessoas com alto índice de cárie, pois é o que mais protege os dentes contra os ácidos produzidos pelas bactérias presentes na placa bacteriana.

O flúor dos enxaguantes age no sentido de impedir a perda de minerais das camadas mais exteriores dos dentes — processo que aumenta a incidência de cáries.

Ademais, também é interessante ficar de olho em como as crianças estão manuseando o produto. Isso porque a ingestão de flúor em excesso pode causar a fluorese — doença que pode provocar irritações no estômago, diarreias e manchas escurecidas nos dentes.

5. Entenda quando o enxaguante bucal combate o mau hálito de verdade

Há muitos enxaguantes que têm apenas um efeito efêmero, ou seja, que servem unicamente para combater o mau hálito por curtos períodos de tempo. Apesar do cheiro agradável após a utilização, eles não promovem qualquer benefício para a dentição e tampouco combatem a halitose. 

Quem sofre com mau hálito constante deve procurar tanto um cirurgião-dentista quanto um médico para verificar e tratar a origem do problema. Pode ser um caso de refluxo gástrico, problemas nas amígdalas ou alguma outra doença — que podem ter efeitos graves caso não sejam devidamente tratadas. 

Alguns enxaguantes prometem matar bactérias, combater a placa bacteriana e o tártaro, assim como evitar as cáries. Em 2010, a Agência Reguladora de Alimentos e Remédios dos Estados Unidos (Food and Drug Regulation — FDA) advertiu os fabricantes de enxaguantes bucais para que retirassem das embalagens estas promessas.

Isso porque os produtos que contêm fluoreto de cálcio conseguem, comprovadamente, prevenir as cáries, pois ajudam a preservar o esmalte dos dentes, no entanto, nenhum colutório bucal tem efeito de antibiótico.

Dicas bônus!

Saiba utilizar corretamente o enxaguante bucal

O modo de usar é bastante simples: encha a tampinha atingindo a marca recomendada pelo fabricante e realize o bochecho por cerca de um minuto.

É recomendado utilizar o enxaguante somente à noite, antes de ir dormir. Isso porque, nesse período, a salivação diminui muito e o produto consegue permanecer nos dentes por mais tempo.

Há pessoas, no entanto, que preferem fazer o bochecho duas vezes por dia a fim de deixar o hálito mais fresco. Não há problema, caso o enxaguante utilizado seja o com flúor, entretanto, é importante frisar que uma vez ao dia já é suficiente.

Procure um especialista em caso de dúvidas

Com todas estas dicas com certeza ficou mais fácil compreender o que você deve levar em consideração na hora de comprar um enxaguante bucal, bem como qual é a forma adequada de se usar o enxaguante bucal.
 
Caso tenha outras dúvidas, não hesite em procurar um especialista para que ele possa indicar o produto mais adequado para você e para sua situação. Além disso, tenha claro que os enxaguantes bucais não substituem de maneira alguma a escovação e o uso do fio dental — que são essenciais para a saúde da sua boca.
 
Gostou das nossas dicas? Você está procurando pelo enxaguante bucal ideal para você? Então não deixe de compartilhar este post em suas redes sociais para que seus amigos também fiquem por dentro de todo o nosso conteúdo!
 
Att, CD Dr. Alberto dos R Condé Jr crogo6411
Posts relacionados

Um comentário em “5 dicas para escolher o melhor enxaguante bucal

Deixe um comentário

× Gostaria de agendar uma consulta?