Candidíase oral: o que é, sintomas, tratamento e mais!

6 minutos para ler

A candidíase oral, popularmente conhecida como sapinho, é umas das doenças bucais mais comuns. Cerca de 80% da população tem esse microrganismo causador no corpo, mas não apresentam sintomas e nem efeitos prejudiciais.

Quiz Invisalign

No entanto, quando os sinais são aparentes, incômodos e estão em estágios mais graves, é preciso procurar tratamento, saber como evitar a transmissão para outras pessoas e como impedir que o quadro do paciente piore.

Essa doença pode aparecer ou ser desencadeada em pessoas de todas as idades, desde bebês até os idosos. Algumas condições de saúde e hábitos dos indivíduos facilitam o aparecimento da candidíase oral e, por isso, vamos lhe informar, a seguir, o que causa, quais são os tratamentos indicados e demais dúvidas recorrentes sobre essa patologia. Confira!

O que é a candidíase oral?

A candidíase oral é uma doença causada pelo fungo Candida albicans. Essa levedura habita, naturalmente, na nossa cavidade bucal desde o nosso nascimento e formam a chamada microbiota normal. Entretanto, alguns acontecimentos e condições da pessoa permitem o crescimento desse fungo de forma descontrolada. Essa patologia é dividida em:

  • pseudomembranosa;

  • eritematosa;

  • eritematosa crônica;

  • hiperplásica crônica;

O que diferencia um tipo do outro são os sintomas, pois alguns apresentam vermelhidões, já em outros é sentida uma sensação de queimação. A causa também pode influenciar no diagnóstico, como no tipo eritematosa crônica que é comum em pacientes que utilizam aparelhos ou dentaduras.

A candidíase oral pode ser transmitida para outras pessoas por meio do contato íntimo e, apesar dos grandes incômodos que são causados pelos sintomas e pela infecção em si, essa doença tem cura. Vale ressaltar que essa patologia não é considerada como DST (Doença Sexualmente Transmissível).

O tratamento pode ser relativamente simples, mas ainda é imprescindível procurar um clínico geral ou dentista de confiança assim que os primeiros sinais surgirem, pois a candidíase oral pode ser a porta de entrada para quadros mais graves que podem afetar o esôfago ou causar a meningite por cândida, por exemplo.

Quais são os sintomas?

Os sintomas da candidíase oral são sentidos e percebidos quando há o crescimento do microrganismo. Os sinais na cavidade oral podem ser:

  • dor;

  • ardência;

  • queimação;

  • sensação de algodão na boca;

  • placas brancas;

  • substância cremosa na boca;

  • pontos de sangramentos;

  • mau hálito;

  • dificuldade em engolir;

  • erupções nos lábios.

A substância cremosa ou espumosa e a sensação de algodão na boca são causadas pela proliferação e desenvolvimento do fungo naquele local. Os sintomas na boca são mais comuns em recém-nascidos e bebês, que são infectados no momento do parto quando a mãe é portadora de candidíase vaginal ou por meio da amamentação.

Quais são as causas da candidíase oral?

Como dissemos, o fungo Candida albicans vive naturalmente na nossa pele e organismo. No entanto, algumas condições são responsáveis por “acordar” esse microrganismo, causando a infecção que pode ser transmitida por meio de contato íntimo desprotegido ou beijos. A candidíase oral pode aparecer em razão de:

  • baixa imunidade;

  • poucos hábitos de higiene bucal;

  • uso de aparelhos ou próteses dentárias mal encaixadas;

  • ingestão de açúcar em excesso;

  • uso de antibióticos ou medicamentos corticosteroides;

  • tabagismo;

  • tratamentos de quimioterapia ou radioterapia.

O uso de antibióticos é listado como uma das causas porque ele mata as bactérias nocivas, mas também as benéficas, deixando o seu organismo desprotegido contra alguns agentes, como os fungos.

Portanto, para identificar a candidíase oral verifique se há pequenas feridas na boca, placas esbranquiçadas, gosto desagradável, falta de paladar e fique atento aos sinais de imunidade baixa que podem ser, principalmente, os resfriados constantes. Após isso, caso apresente alguns dos sintomas ou fique na dúvida, procure um médico ou dentista.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da candidíase oral é feito por meio da visualização dos sintomas. O dentista ou clínico geral poderá, ainda, perguntar se você teve histórico de aftas, baixa imunidade ou em casos de bebê, se a mãe tem candidíase vaginal.

Em casos mais específicos, também poderão ser solicitadas algumas amostras, que serão retiradas por meio de raspagem com esponjas esterilizadas.

Como prevenir a candidíase oral?

Em recém-nascidos e bebês os cuidados devem ser feitos pela mãe, já que a infecção é passado no momento do parto. As mamadeiras e chupetas devem ser constantemente lavadas e passar por processo de esterilização, já os seios devem ser higienizados antes da amamentação para evitar que o fungo se desenvolva. Além disso, é aconselhável dar 20 ml de água fria fervida após o aleitamento para eliminar os resíduos de leite.

Em adultos, são indicadas medidas preventivas, como acompanhamento odontológico, bons hábitos de higiene bucal (escovação após as refeições, limpeza dos dentes e gengivas e uso de fio dental), remoção de dentaduras ou próteses antes de dormir e abandono total do cigarro.

Como é realizado o tratamento?

Após o diagnóstico no adulto, o clínico geral ou dentista poderá indicar a aplicação de antifúngicos líquidos, em gel ou em forma de enxaguante bucal de 5 a 7 dias. Além disso, algumas orientações durante o tratamento são:

  • evitar comer alimentos muito gordurosos ou com açúcar (balas, biscoitos e bolos, por exemplo);

  • durante o tratamento prefira consumir gengibre, salsinha e limão, pois ajuda a reduzir a proliferação do fungo;

  • escovar os dentes, ao menos três vezes por dia, com escova macia;

  • lavar toda a boca antes de aplicar a medicação.

Em casos mais graves, o tratamento poderá ser feito por meio da prescrição de medicamentos antifúngicos orais por até 14 dias ou conforme a indicação do profissional. Em bebês e crianças, a medicação e o melhor método de intervenção da patologia deverá ser indicado por um pediatra.

É importante reforçar que todo o tratamento deverá ser orientado por um clínico geral ou dentista de sua confiança. Nunca utilize medicamentos e nem receitas caseiras sem o conhecimento de um profissional, pois os resultados podem ser inversos.

A candidíase oral é uma doença que pode causar constrangimentos, dores, mau hálito e muita ardência. Para evitar esse mal, fortaleça o seu sistema imunológico por meio de uma alimentação saudável, visite o seu dentista regularmente, tenha uma boa e constante higiene bucal e não tenha contato íntimo com pessoas que apresentam os sintomas que citamos.

Agora, para ficar por dentro de mais dicas, novidades e informações que podem ajudá-lo na prevenção da sua saúde, assine a nossa newsletter e receba os nossos conteúdos!

Att,

CD Dr. Alberto dos R. Condé Jr.

CRO-GO 6.411

Posts relacionados

Deixe um comentário

× Gostaria de agendar uma consulta?