Conheça 3 doenças bucais e suas diferenças

4 minutos para ler

Mesmo com o cuidado constante com a higiene da boca, algumas doenças podem se instalar quando menos se espera. Elas podem surgir até mesmo devido ao excesso de esforço na limpeza dos dentes e algumas evoluem mais rápido do que conseguimos perceber. Para ajudar você a ficar de olho nas principais doenças bucais, listamos 3 delas e seus sintomas e tratamentos. Confira!

1. Gengivite

Como o nome sugere, a gengivite é a inflamação da gengiva (o sufixo “ite” significa infecção ou inflamação). Ela pode surgir em qualquer idade e em qualquer pessoa. Em geral, é causada pela presença de placa nos dentes, que, quando não é removida com regularidade, as bactérias liberam toxinas e as gengivas reagem com a inflamação e sangramento. 

Os sintomas da gengivite são vermelhidão nas gengivas, com ou sem dor, sangramentos (principalmente após a escovação), inchaço e retração da gengiva. Na maioria das vezes, essa doença pode ser tratada na com limpeza profissional e uso de pomadas e medicamentos para reduzir a inflamação. Quem vai avaliar o melhor método é o dentista de sua confiança.

Para prevenir a gengivite, é importante manter uma higiene bucal regular e não relaxar no uso do fio dental. É bom evitar também escovar os dentes com muita força, pois isso pode machucar as gengivas e torná-las mais suscetíveis a infecções. 

Se você tiver qualquer um os sintomas de gengivite, é muito importante procurar um profissional habilitado imediatamente para realizar o tratamento correto. A gengivite é fácil de ser tratada, mas, quando postergada, pode evoluir para uma doença muito mais grave, que veremos a seguir. 

2. Periodontite

Essa doença surge quando a inflamação gengival alcança níveis mais profundos. Ela afeta diretamente os tecidos que “seguram” os dentes e forma pequenas bolsas entre as raízes dos dentes. Se não for tratada, a periodontite continua evoluindo e destruindo o osso de suporte dos dentes até ficarem moles e “cair”.

Os sintomas são parecidos com os da gengivite, mas com dor e sangramento mais frequentes e intensos. Outros sinais de periodontite são  mau hálito, dentes moles, retração gengival e sensibilidade das gengivas ao toque. Mas, pode ser totalmente indolor.

Quiz Invisalign

O tratamento da periodontite é feito com limpeza profissional e profunda dos dentes e, em alguns casos, pode ser necessário usar antibióticos. Ele deve ser feito em sessões e o paciente deve fazer acompanhamento regular para evitar que a doença volte.

3. Peri-implantite

A peri-implantite é uma doença muito grave e, em alguns casos, irreversível, que afeta o tecido em volta de implantes dentários. Ela é causada por infecção e uma de suas consequências é a perda óssea, o que pode ocasionar na perda dos implantes osseointegrados. 

Assim como a periodontite, essa doença é causada pelo crescimento de bactérias nos espaços entre os dentes e as gengivas. Quem tem implante está mais suscetível, pois o tecido gengival não adere totalmente aos dentes artificiais. 

Os sintomas de peri-implantite são vermelhidão da gengiva, sensibilidade, sangramentos, perda óssea, implantes moles e afastamento do tecido gengival. O diagnóstico é feito em consultório e o tratamento inclui sessões de limpeza profunda e, dependendo do caso, uso de antibióticos.

É importante tratar essa doença o mais rápido possível para evitar consequências mais graves. Em alguns casos, pode ser necessário passar por cirurgias reparadoras da gengiva. 

Em todos os casos que vimos no post de hoje, a prevenção pode ser feita com higiene adequada e regular e visitar periódicas ao dentista. Evitar o uso de álcool e tabaco e ter uma alimentação saudável também ajudam a manter a as doenças bucais longe.

Gostou do texto? Para receber mais conteúdos exclusivos diretamente na sua caixa de e-mails, assine a nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

× Gostaria de agendar uma consulta?