Conheça os tipos de dentes tortos e os problemas de mordida mais frequentes

6 minutos para ler

A busca pelo sorriso perfeito é um fato. Hoje, muitas pessoas têm como objetivo o alinhamento dos dentes — o que inclui os dentes encavalados — e a correção dos problemas de mordida.

Embora a estética seja o objetivo principal de muitos pacientes, para nós, dentistas, os dentes perfeitos são consequências de uma saúde bucal plena. Retrações gengivais, mau hálito e até quebra de dentes podem estar diretamente relacionados à arcada dentária.

Procurar um dentista e corrigir o posicionamento dos dentes pode prevenir ou paralisar o avanço das causas desses e de outros problemas.

Que tal saber detalhes sobre os tipos de dentes tortos e conhecer quais são os problemas de mordidas mais frequentes? Continue a leitura deste conteúdo e fique por dentro do assunto!

Tipos de dentes tortos mais comuns

Selecionamos informações valiosas sobre os tipos mais comuns de dentes tortos. Confira!

Encavalados

É muito fácil encontrar pessoas que apresentam dentes encavalados, mas sabemos que cada caso é um caso. Por isso, é fundamental solicitar a avaliação de um profissional no assunto para identificar o que provocou esse problema.

As principais causas de dentes encavalados podem ser malformações faciais, herança genética, hábitos parafuncionais, traumatismos e falhas em tratamentos anteriores.

Para frente

Os dentes inclinados para frente, ao elevarem o lábio superior e reverterem o inferior, atrapalham a mastigação, a respiração e provocam a sensação de boca envelhecida. Além disso, trazem para o paciente dificuldade de selar os lábios e fazem com que eles sejam mais suscetíveis à quebra.

Apinhados

Os dentes ficam apinhados quando o paciente não tem espaço suficiente na arcada para que eles se encaixem de forma natural e adequada. Dessa maneira, os dentes se sobrepõem, se agrupam e, às vezes, podem até torcer. Por isso, pessoas com dentes apinhados têm dificuldade na escovação e na limpeza com fio dental.

Quando a placa não é removida, pode haver a presença do mau hálito — que incomoda e até inibe os pacientes no seu dia a dia.

Problemas de mordidas mais frequentes

Entre os problemas de mordida que podem ser encontrados nas arcadas, os principais envolvem fatores genéticos, endócrinos, funcionais e ambientais. Que tal conhecer os diferentes tipos de mordida?

Aberta

Acontece quando os dentes superiores e os inferiores não têm contato. Isso se dá porque a mandíbula encontra-se afastada da maxila em algum lugar do arco oclusal.

Cruzada

Nesse caso, a arcada de cima está invertida, isto é, ao contrário em relação à de baixo, deixando o sorriso do paciente com aspecto de torto.

Classe II ou retrusão dos maxilares

É um problema sagital ou anteroposterior devido à predisposição genética da mandíbula, podendo gerar problemas na estética facial devido ao rosto mais convexo.

Consequências do não tratamento para dentes tortos

Além de atrapalharem na estética do paciente, os dentes tortos podem causar alguns problemas de saúde. Confira quais são eles.

Dores na face, na cabeça e nos ouvidos

Entre as consequências de dentes encavalados estão as dores na região do rosto, na cabeça e nos ouvidos. Isso acontece porque essa circunstância leva à formação de uma séria disfunção na articulação temporomandibular (ATM).

Quando a ATM não está posicionada corretamente, ela começa a exigir demais das articulações da cabeça, dificultando o trabalho do maxilar ao osso temporal do crânio — o que fica próximo às orelhas.

Além do mais, é possível que a disfunção cause dores na região dos olhos e dos ouvidos. Também é comum a reclamação de zumbidos constantes nos ouvidos.

Mau hálito

Quem disse que mau hálito é causado apenas pela forma ineficiente de escovar os dentes não está completamente correto. Há um outro fator que interfere nisso: os dentes encavalados.

Essa situação promove a respiração via boca. Com ela, é possível que à noite a pessoa fique com boca seca e sem lubrificação da saliva. O resultado disso é um provável acúmulo de bactérias, principal elemento causador do mau hálito.

Doenças respiratórias

Seguindo o raciocínio apresentado anteriormente, há outro desdobramento das consequências da respiração bucal causada por dentes encavalados: as doenças respiratórias.

Elas surgem justamente porque a boca deixa de fazer o papel indispensável do nariz, que funciona como um filtro contra bactérias, vírus e fungos. Quando ele é substituído em parte pela respiração bucal, logo aqueles elementos patogênicos conseguem entrar a região da garganta e dos pulmões.

Dificuldades de higienização

Dentes desalinhados costumam invadir o espaço de outros dentes e estreitam o espaço entre eles. Dessa forma, cria-se uma certa dificuldade para a escova de dentes e o fio dental retirarem os resíduos dessa região.

Como consequência dessas situações, há higienização precária da boca e a formação de placa bacteriana, que pode ocasionar problemas maiores, como gengivite e periodontite.

Tratamento para dentes encavalados

Geralmente o tratamento utilizado para dentes encavalados é o ortodôntico ou ortopédico. Na primeira solução, os aparelhos são os dispositivos que promovem a correção dos dentes. Na segunda solução, é necessário realizar cirurgia.

Para o tratamento de dentes encavalados via ortodontia, recomenda-se o uso de aparelhos fixos, móveis e invisíveis. No primeiro caso, os bráquetes são anexados aos dentes, dando sustentação à estrutura do aparelho.

No momento em que o paciente coloca o aparelho fixo, o alinhamento começa a aparecer de forma gradual. Isso acontece porque a pressão exercida pelo aparelho permite a movimentação dos dentes para a uma posição mais correta.

Os aparelhos móveis são mais recomendados para crianças. Esses são mais adequados para a idade infantil porque são eficientes no ajuste à fisiologia da formação da arcada dentária de crianças.

Atualmente existe uma tecnologia de aparelhos que permite corrigir os dentes encavalados sem o uso de bráquetes: o aparelho invisível. Ele consiste em placas alinhadoras transparentes, que são elaboradas sob medida e podem ser removidas.

Cada placa tem a função de movimentar um pouco os dentes da arcada. Após alguns dias, é possível fazer a substituição por outra. O tratamento funciona e há vários tipos para cada necessidade.

Essas são algumas informações sobre os dentes encavalados. É importante consultar o dentista periodicamente para evitar que haja o crescimento indesejado de dentes tortos. O quanto antes você fizer uma consulta com um profissional, melhores são as chances de tratamento e menor será o tempo de uso de aparelhos.

Visitar o dentista a cada 6 meses é uma boa maneira de avaliar o comportamento de crescimento da arcada dentária.

Quer ficar por dentro de outras novidades para ter um sorriso bonito? Então conheça os principais procedimentos para corrigir dentes feios!

 

Att.,

CD Dr. Alberto dos R. Condé Jr.

CRO-GO 6.411

CTA_Tipos-e-indicações-dos-aparelhos-dentais-invisíveis_2 (1)

Posts relacionados

Deixe uma resposta

× Gostaria de agendar uma consulta?