Entenda a relação entre diabetes e saúde bucal

4 minutos para ler

No Brasil, mais de 13 milhões de pessoas têm diabetes segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes. É uma doença crônica que está associada a várias complicações. Você sabia que existe relação entre diabetes e saúde bucal?

Dessa maneira, além de um acompanhamento médico rigoroso de várias funções do organismo, os diabéticos precisam ter também uma atenção maior para os dentes e a boca.

Neste post, vamos explicar o que caracteriza o diabetes e os principais problemas de saúde bucal que a doença pode causar. Acompanhe!

O que é diabetes?

É uma doença crônica que se caracteriza pelo nível elevado de glicose no sangue — a chamada hiperglicemia. Isso ocorre por problemas na secreção e ação da insulina, hormônio que é produzido pelo pâncreas. O diabetes pode ser:

  • tipo 1: o pâncreas produz quantidade insuficiente ou nenhuma insulina;
  • tipo 2: a forma mais comum da doença. Acontece quando o corpo não consegue processar corretamente o açúcar no sangue.

Os sintomas do diabetes são:

  • muita sede;
  • boca seca;
  • urina em excesso;
  • visão embaçada;
  • cansaço;
  • fraqueza;
  • problemas de cicatrização;
  • emagrecimento;
  • infecções frequentes.

Qual a relação entre diabetes e saúde bucal?

Muita gente desconhece a relação entre essa doença crônica e saúde bucal. No entanto, é importante que os diabéticos saibam identificar problemas na boca em seu estágio inicial e façam um acompanhamento regular com o dentista.

Veja abaixo alguns distúrbios de saúde bucal que o diabetes pode causar:

Xerostomia

Caracteriza-se por deixar a boca seca, com a redução na produção de saliva por conta do descontrole metabólico da doença. A saliva tem ação antimicrobiana, por isso a xerostomia deixa a boca mais suscetível a cáries, feridas, fissuras na língua e mau hálito.

Quiz Invisalign

Problemas na gengiva

Como um dos sintomas do diabetes é a diminuição da saliva, a boca fica mais desprotegida e a chance de proliferação de bactérias é maior. Assim, caso a limpeza não seja efetuada de modo completo e eficaz, pode ocorrer a gengivite — inflamação da gengiva. Nessa situação, a gengiva fica mais vermelha, sensível e sangra com facilidade.

Caso não tratada, essa doença pode avançar para a periodontite, quadro mais grave que afeta as estruturas de sustentação do dente, o que pode ocasionar sua queda.

Candidíase

Pela redução na produção de saliva, os diabéticos podem ter problemas com infecções fúngicas, como a candidíase. A doença é caracterizada por placas esbranquiçadas, principalmente na língua.

Mau hálito

A boca seca e infecções bucais contribuem para a halitose (cheiro desagradável exalado pela boca), o que pode ser bastante desconfortável para o diabético.

Ardência bucal

A síndrome da ardência bucal é um quadro comum para os diabéticos: uma espécie de “queimação” na boca e dor, sem que haja qualquer lesão, além de coceira e inchaço na língua.

Como os diabéticos podem prevenir problemas bucais?

Quem tem diabetes deve redobrar os cuidados com a saúde bucal, principalmente pela redução na produção de saliva e problemas de cicatrização. Dessa forma, é importante:

  • ir ao dentista a cada 6 meses para fazer um acompanhamento regular;
  • escovar os dentes após as refeições e antes de dormir, utilizando uma escova com cerdas macias e o fio dental;
  • ficar de olho em qualquer lesão ou sangramento bucal e procurar o dentista para avaliação e tratamento;
  • não fumar.

Mas, ATENÇÃO, fazer um tratamento como extração dentária estando com seu diabetes acima dos níveis normais aumenta em muito as chances de complicações que podem levar até a morte. Desde o tipo de anestésico, nível da glicose no dia da cirurgia e liberação do seu médico para a cirurgia devem ser monitorados para evitar problemas.

Como vimos, diabetes e saúde bucal têm uma forte relação, por isso os pacientes devem cuidar da higienização da boca de forma disciplinada, visitar o dentista com frequência e fazer o autoexame bucal, evitando assim problemas mais sérios não só na boca, mas também no organismo.

Nosso artigo foi esclarecedor? Então compartilhe este conteúdo com seus amigos nas redes sociais para que eles também se informem sobre essa questão!

Att.,

CD Dr. Alberto dos R. Condé Jr.

CRO-GO 6.411 

Posts relacionados

Deixe um comentário

× Gostaria de agendar uma consulta?