Entenda qual é a relação entre retração gengival, dor e clareamento

6 minutos para ler

Quem não sonha em ter um sorriso mais branco e bonito? Mas, na hora de realizar esse objetivo, muitas pessoas acabam se aventurando com tentativas de clareamentos usando pastas de dentes abrasivas ou mandam manipular produtos fortes mas, sem a orientação e controle de um dentista, o que pode acarretar em vários problemas bucais, incluindo dor, sensibilidade dental e retração gengival.

Quando feito com acompanhamento e orientação de um profissional, o clareamento dental passa a ter seus efeitos colaterais prevenidos em quase 100% ou minimizados. Entretanto, há pacientes que compram kits vendidos pela TV, internet ou vão por conta própria numa farmácia e colocam mais do que apenas o seu sorriso em risco.

Algumas dessas consequências dolorosas podem afetar a gengiva e causar muitas complicações. Deseja ficar bem informado sobre o tema? Então, não perca tempo e confira o nosso post!

Por que o clareamento dental sem orientação pode causar problemas?

Os dois principais riscos dos métodos vendidos sem a supervisão de um dentista estão relacionados à condição prévia da gengiva e do dente do usurário, além da falta de controle durante o uso da substância química extremamente forte, tais como o peróxido de carbamida ou de hidrogênio.

Quando um cirurgião-dentista examina seu paciente, é possível, após receber os exames indicados, fazer os ajustes dentários e gengivais fundamentais para que o clareamento aconteça até sem nenhuma dor ou outro efeito colateral. Além disso, o dentista produz uma moldeira do tamanho exato da boca do paciente e ainda pensa em um gel que estará de acordo com as características da dentição a ser clareada.

Os produtos vendidos sem orientação não são fabricados sob medida, assim a moldeira pode não ficar totalmente ajustada, permitindo o escoamento e ingestão de gel que, nessas concentrações e por não ficar totalmente dentro do aparelho móvel, passa ser tóxico. Além disso, a concentração do peróxido pode ser maior do que o necessário ou mesmo clarear de forma diferente os dentes ou até pior, gerar dor de dente, perda da papila gengival, retração gengival, deixar dentes sensíveis ou com cores diferentes entre um e outro.

Os clareamentos feitos com orientação profissional também apresentam controle da sensibilidade temporária, minimizando esse efeito colateral. Mas, quando não há preparo de dentes e gengiva para receber o clareador pelo cirurgião-dentista, o produto pode escoar para dentro de um dente cariado e, assim, necrosar a polpa dentária. Tudo isso poderia ser prevenido se o paciente entendesse o risco que corre sem a orientação correta.

O que é a retração gengival e por que devo me preocupar com ela?

Como o próprio nome sugere, a retração acontece quando a gengiva começa a se afastar do dente, deixando a raiz exposta.

Quiz Invisalign

Em muitos casos, os pacientes podem relatar que os dentes ficaram “maiores”, quando, na verdade, é a gengiva que está retraída, cansando essa sensação.

Mas, além da questão estética, a retração gengival pode gerar muitos incômodos, como: mau hálito, sangramento durante a escovação, dor severa e sensibilidade na região — já que a raiz do dente está exposta e não tem mais a proteção do esmalte como na coroa dentária. A raiz do dente é muito sensível ao ar, frio, quente e, óbvio, ao produto clareador.

Se ignorado, esse problema pode alcançar proporções muito maiores, aumentando a dor e levando a retração de cada vez mais partes da gengiva, mobilidade e até perda do dente.

Quais as causas da retração gengival?

Além de um clareamento mal executado, ainda existem outras questões que podem influenciar no aparecimento da retração, como:

  • Traumas na escovação: usar uma escova de dentes correta e de forma correta é fundamental para uma higienização bem feita e sem destruir a gengiva. Quando o paciente utiliza muita força ou possui um modelo com cerdas muito duras, é muito provável que a retração ocorra.

  • Doenças periodontais: se a sua gengiva sangra quando você escova os dentes ou usa o fio dental, vá imediatamente ao dentista! Esse pode ser o começo de uma inflamação. Ela é causada pelo acúmulo de placa bacteriana e tártaro, responsáveis por liberar substâncias que irritam o local. Quando esse quadro não é tratado e/ou há predisposição genética manifestada em má qualidade da gengiva inserida, ele pode evoluir, provocando perda óssea e retração gengival severa.

  • Mau posicionamento dos dentes: se essa parte do corpo começa a receber muita força mastigatória, pode envolver todos os tecidos adjacentes, inclusive a gengiva. O uso do aparelho ortodôntico vai resolver esse problema. Uma dica é o aparelho invisível.

  • Procedimentos odontológicos: além do clareamento, existem outros procedimentos que, se mal executados, podem levar à retração, como: implantes, próteses ou restaurações em excesso e aparelhos ortodônticos mal posicionados, daí a importância da seleção do dentista ideal.

É possível tratar a retração gengival?

Cada caso deve ser analisado por um profissional, mas a retração gengival pode ser tratada ainda no seu início. O primeiro passo é atacar a causa do problema, educando o paciente sobre a escovação adequada, posicionando corretamente os dentes ou resolvendo outras situações que estejam interferindo nessa situação.

Se tratada nas fases iniciais, não precisa de cirurgia, mas, se deixar evoluir, pode estar indicada a retirada de uma pequena parte da gengiva do paciente, de outro local, para cobrir o que está faltando.

Gostou de saber mais sobre a relação entre clareamento e retração gengival? Então, siga as nossas redes sociais e receba sempre conteúdos incríveis como este!

 

Posts relacionados

Deixe um comentário

× Gostaria de agendar uma consulta?