Mucosite: o que você precisa saber!

3 minutos para ler

Quem realiza tratamento oncológico sofre com muitos efeitos colaterais, e um deles pode ser a mucosite — reação inflamatória na mucosa bucal. O quadro pode acometer pacientes que fazem quimioterapia, radioterapia de cabeça e pescoço ou que realizaram transplante de medula óssea.

Quiz Invisalign

Basicamente, ela é uma inflamação que atinge a boca e a garganta e não pode ser ignorada. Isso porque a dor intensa pode comprometer a qualidade de vida desse grupo de pessoas que, muitas vezes, já está com o sistema imunológico enfraquecido.

Acompanhe este post e conheça os principais sintomas da mucosite e a importância do tratamento médico e odontológico, bem como as medidas para prevenir o problema.

Quais são os principais sintomas da mucosite?

A mucosite é resultante da alta toxicidade do tratamento oncológico. É um quadro caracterizado por lesões na cavidade oral e pode apresentar graus variados de manifestação — vai desde placas esbranquiçadas na boca que não causam incômodo até úlceras bastante doloridas.

A seguir, confira os principais sintomas dessa reação inflamatória:

  • vermelhidão na pele;

  • inchaço;

  • redução do paladar;

  • xerostomia (boca seca);

  • ardência na boca;

  • sensibilidade a alguns alimentos;

  • dor e dificuldade para engolir;

  • dificuldade de dicção.

A evolução da mucosite é perigosa, pois afeta o estado nutricional do paciente, que apresenta dificuldades de deglutição e falta de paladar. A condição pode ainda deixar a pessoa vulnerável a outras infecções, como a candidíase.

Quais são as formas de tratamento?

Em um primeiro momento, o paciente deve ser tratado com analgésicos para controlar a dor. No entanto, o mais importante é receber tratamento médico e odontológico, visto que a saúde bucal pode ficar prejudicada.

A recomendação é fazer uma revisão profunda e completa com seu dentista. Dessa forma, vai muito além de apenas realizar a higienização bucal adequada. É necessário controlar a xerostomia e evitar cáries, doenças periodontais ou infecções oportunistas.

Laserterapia

No consultório do dentista, o tratamento com laser de baixa intensidade é indicado para a mucosite. Ele tem ação analgésica e anti-inflamatória, por isso ajuda a reduzir a severidade das lesões.

Como prevenir a reação inflamatória?

Antes de iniciar o tratamento quimioterápico ou radioterápico na região da cabeça ou do pescoço, é muito importante que pacientes façam uma avaliação odontológica. O dentista pode realizar o tratamento de problemas bucais já instalados e recomendar medidas para prevenir a mucosite, como:

  • não fumar;

  • não ingerir bebida alcoólica;

  • não consumir alimentos condimentados, ácidos, picantes e mais duros;

  • ingerir bastante água de forma fracionada para reduzir os efeitos da boca seca e evitar a desidratação;

  • realizar a higienização oral sempre após as refeições e antes de dormir com uma escova de cerdas macias;

  • fazer bochechos com solução com flúor (indicada pelo dentista) para prevenir o surgimento de cáries.

Portanto, além do tratamento médico, é relevante também que o paciente oncológico realize o acompanhamento com o dentista. A ajuda multiprofissional pode evitar o surgimento da mucosite ou fazer o controle de sua evolução para que o indivíduo tenha qualidade de vida e consiga realizar seu tratamento com tranquilidade.

Gostou de acompanhar esse tema sobre saúde bucal? Acompanhe outros conteúdos, inclusive de tratamentos estéticos, curtindo a página da Odonto Condé no Facebook!

Att.,

CD Dr. Alberto dos R. Condé Jr.

CRO-GO 6.411

 

Posts relacionados

Deixe um comentário

× Gostaria de agendar uma consulta?