Ortodontia preventiva: saiba como funciona e quando deve ser realizada

5 minutos para ler

Diversos problemas e doenças são evitados quando adotamos alguns cuidados, certo? Mas você sabia que isso também acontece com os desalinhamentos dentários? Com a Ortodontia preventiva minimizamos a quantidade de muitos tipos de problemas no futuro, consequentemente, o tempo de tratamento na segunda fase do aparelho.

Porém as intervenções precisam ser realizadas no momento certo e indicado, a fim de que tragam resultados positivos alcançando os objetivos pretendidos. Para que você entenda melhor como essa área da odontologia funciona, preparamos este artigo.

Continue lendo para descobrir como os tratamentos ortodônticos preventivos funcionam, quando devem ser realizados, em quais casos não são recomendados e os benefícios que promovem.

O que é e como funciona a Ortodontia preventiva?

Diversos fatores fazem com que os dentes cresçam desalinhados, como quando um dente de leite não cai no momento certo, se não há espaço na boca para comportar toda a dentição, por causa da genética, entre outros.

Entretanto é possível evitar os desalinhamentos, apinhamentos e giros com as intervenções da Ortodontia preventiva. Esse ramo da odontologia aplica técnicas de acordo com a necessidade do paciente para prevenir complicações ou evitar o uso de aparelho por longos e longos anos durante a adolescência ou vida adulta.

Para isso, são adotados aparelhos móveis para guiar o nascimento dos permanentes mantendo os espaços; o profissional pode fazer extrações programadas dos decíduos persistentes, alguns desgastes, entre outros, sempre visando dar as condições para que dentição possa se desenvolva na posição adequada, embora, nem sempre isso aconteça.

Quando a Ortodontia preventiva deve ser feita?

Como a Ortodontia preventiva é realizada com o intuito de dar espaço para dentes, melhorar mastigação e até, quando indicado, ajuda na respiração e posição da língua e lábios, pode reduzir o nível de que os dentes permanentes cresçam desalinhados. Ela precisa ser feita durante a fase da dentição da dentição mista, quando já iniciou o nascimento de alguns dentes permanentes.

O acompanhamento pode ser iniciado a partir dos 3 anos, quando é possível perceber a tendência para o desenvolvimento de problemas. Mas o uso de aparelhos (quando necessário), acontece quando a criança está mais madura, entre os 6 e 12 anos de idade.

A Ortodontia preventiva é importante não apenas para ajudar no alinhamento da dentição, mas também para diagnosticar disfunções, problemas de dicção ou respiração. Ainda, tem uma abordagem educativa em relação aos maus hábitos (chupar chupeta, dedo ou usar a mamadeira), orientando os pais e auxiliando na retirada desses hábitos.

Quiz InvisalignPowered by Rock Convert

Em quais casos a Ortodontia preventiva não é indicada?

Apesar de os problemas ortodônticos serem muito comuns, a Ortodontia preventiva não é indicada para todas as crianças. O acompanhamento, sim, deve acontecer o mais cedo possível e seguir durante toda a vida, mas as intervenções são recomendadas quando realmente necessárias.

A Ortodontia preventiva não está indicada para evitar extrações dentárias futuras e, muito menos, para prevenir cirurgia ortognática. Outro ponto que contra indica a intervenção nessa idade é quando o paciente teria que ficar usando aparelho ativo por anos e anos que pode gerar um grande desperdício de dinheiro, expectativa, tempo e cansar o paciente num atendimento na fase de adolescente.

Por isso, é importante que o pequeno seja avaliado por um ortodontista por volta dos 3 a 5 anos de idade, para verificar se há tendência para manifestação de problemas, seja relacionados ao desenvolvimento ou em função de hábitos.

Em casos mais específicos, como quando a criança apresenta problemas nas estruturas faciais, pode ser necessário tratá-los e depois fazer a correção da dentição. Assim, cada paciente precisa de uma avaliação minuciosa considerando sua anatomia, características e hábitos, para definir se a Ortodontia preventiva é recomendada em seu caso.

Quais são os benefícios da Ortodontia preventiva?

A Ortodontia preventiva tem uma abrangência extensa e, por isso, promove diversos benefícios para a criança, sendo alguns deles:

  • contribuir com o bom desenvolvimento das arcadas dentárias e da face;
  • reduzir a incidência de quebra dos dentes incisivos superiores
  • prevenir a complexidade de muitos tipos de problemas ortodônticos no futuro;
  • evitar tratamentos longos durante a adolescência ou vida adulta;
  • evitar prejuízos estéticos;
  • prevenir problemas bucais, como cáries e tártaro;
  • ajudar no desenvolvimento das articulações da face.

Não se esqueça de que é fundamental contar com um dentista da Ortodontia experiente, ético e criterioso. Afinal, será preciso uma avaliação minuciosa para definir se realmente a Ortodontia preventiva será indicada.

Tenha cuidado na hora da escolha para não confiar em oportunistas, que indicam tratamento em qualquer idade e sem necessidade real. Isso prejudica o desenvolvimento do pequeno e pode agravar ainda mais os problemas, além de exigir um investimento desnecessário.

A Ortodontia preventiva tem um papel muito importante para o desenvolvimento da dentição e estruturas faciais da criança. Ela envolve questões delicadas, portanto, inicie o acompanhamento odontopediátrico do seu filho o quanto antes, mas com um profissional de confiança e com credibilidade.

Continue aprendendo sobre ortodontia. Veja quais são os melhores aparelhos dentários do mundo para fazer um tratamento com resultados superiores!

Odonto Condé / Condé Invisalign

Doctor CROGO/EPAO 1587, RTCD

Dr. Alberto dos R Condé Jr

CROGO6411

Posts relacionados

Deixe uma resposta

× Gostaria de agendar uma consulta?