Conheça os 4 riscos de respirar pela boca

4 minutos para ler

Você já ouviu falar em síndrome do respirador bucal? O nome pode parecer estranho, mas é uma doença causada pelo hábito de respirar pela boca, bastante comum entre os brasileiros e capaz de levar a complicações.

Desde o cansaço contínuo até problemas gengivais, passando pela secura bucal e disfunções na fala, algumas consequências sérias tendem a surgir. Ao longo do texto, explicamos o funcionamento da respiração humana e os motivos pelos quais inalar o ar pelas narinas é o ideal. Continue conosco e tire as dúvidas!

Como funciona a respiração humana?

Antes de saber mais a respeito da síndrome do respirador bucal, como é conhecida tecnicamente a respiração pela boca, vale destacar que a prática figura como hábito essencial para suprir o oxigênio do corpo.

Por meio de trocas gasosas, o aparelho respiratório é responsável por inúmeras funções, como a defesa contra organismos agressores e a fonação. Entretanto, quando há alguma disfunção ao longo do processo, como a respiração pela boca, outros problemas começam a aparecer.

Há quem se sinta desconfortável ao respirar pelo nariz, por exemplo. Alergias como rinite e sinusite são os principais contratempos que explicam esse incômodo, mas desvio de septo, disfunção na formação de nariz e boca, tumores e carne esponjosa nas narinas consistem em outros motivos que desenvolvem o hábito.

Quais são os quatro maiores riscos de respirar pela boca?

Até aqui você compreendeu o funcionamento do sistema respiratório nos seres humanos, além dos atos que levam ao costume de respirar pela boca. Mas que riscos essa prática acarreta à sua saúde? Confira os quatro principais a seguir.

Quiz InvisalignPowered by Rock Convert

1. Cansaço frequente

A síndrome de respiração bucal, muito comum em crianças, é responsável pelo cansaço excessivo e pela sonolência diurna, uma vez que a inalação de ar fica comprometida, principalmente à noite. Por outro lado, a síndrome também pode levar à ansiedade e aumentar o risco de infecções respiratórias.

2. Boca seca

A respiração nasal filtra, umedece e aquece o ar que chega ao nosso corpo. No entanto, quando a prática se dá através da boca, o contato direto dos gases com os tecidos bucais causa sensação de secura, modificando a produção e a função da saliva no órgão.

3. Problemas na mastigação e fala

A boca influencia em vários outros aspectos além da aparência. Entre as principais consequências de respirar pela boca figuram alterações na face e na oclusão dentária, o que implica sérios distúrbios na mastigação e na fala do paciente. A mordida vai ficando torta a partir de que a parte funcional está deficiente. Com o tempo, a mordida vai ficando cada vez mais torta.

4. Cáries e problemas gengivais

O item anterior está associado a este: a respiração bucal tem capacidade de desenvolver problemas gengivais e cáries. Sem a filtragem do ar, função das narinas, a substância modifica a composição dos tecidos bucais, uma vez que tanto cresce a entrada de bactérias na boca quanto se altera a oclusão dentária.

Para corrigir os contratempos, a ortodontia (com aparelhos ortodônticos, por exemplo) e a ortopedia facial, juntamente com a área médica da otorrinolaringologia, melhoram a respiração, a posição da mandíbula, a disposição da língua na boca, a fala e a deglutição do paciente.

Ao longo do texto, entendemos como respirar pela boca pode trazer inúmeros prejuízos à saúde, desde cansaço excessivo até boca seca, passando por problemas de mastigação e de fala. De toda forma é importante evitar esse hábito para não estimular disfunções na região. Fique atento!

E aí, o texto foi útil pra você? Então aproveite a visita ao blog e confira os quatro problemas mais comuns da oclusão dentária!

Odonto Condé / Condé Invisalign

Doctor CROGO/EPAO 1587, RTCD

Dr. Alberto dos R Condé Jr

CROGO6411

Posts relacionados

Deixe uma resposta

× Gostaria de agendar uma consulta?