Sangramento gengival: entenda as diferença entre gengivite e periodontite

4 minutos para ler

Uma cena comum e que pode ter acontecido com você algumas vezes: de repente, escovando os dentes ou passando o fio dental a sua gengiva começa a sangrar. Quanto mais você escova, mais sangra. Um problema que afeta muitas pessoas e que pode causar mais do que um incômodo durante a escovação, esse é o sangramento gengival – algo que merece a sua atenção.

Se você já passou pela situação acima, ou pior, se ela é corriqueira na sua vida, continue a leitura desse texto e descubra por que isso ocorre!

O que é e por que acontece o sangramento gengival?

O sangramento gengival é sempre um indício de que algo não vai bem, seja com a sua saúde bucal, seja com a saúde geral do seu corpo.

Uma gengiva saudável é rosada, justa aos dentes e deve ser capaz de suportar traumas como a escovação e a mastigação sem apresentar qualquer sinal de sangramento.

Se, ao menor sinal de contato, a sua gengiva começa a sangrar isso pode indicar problemas de higiene bucal, já que, se a limpeza é ineficaz, aumentam as chances de a placa bacteriana se acumular e se calcificar (criando o tártaro).

Quando isso acontece, essas substâncias começam a liberar toxinas capazes de inflamar a gengiva, o que resulta em sangramento e inchaço. Mas, se o seu sangramento é rotineiro, você precisa ficar atento, isso porque ele também pode indicar desequilíbrios na sua saúde geral, como deficiência de vitamina K, alterações hormonais, diabetes, desordem hemorrágica e até leucemia ou escovação com excesso de força..

O maior risco acontece porque esses pequenos ferimentos, que muitas vezes não damos importância, podem se tornar uma porta de entrada para bactérias e micro-organismos patogênicos, capazes de causar inflamações e doenças não apenas na nossa boca, mas podem atingir até o coração.

Gengivite e periodontite: quais as diferenças?

O sangramento gengival também é um sinal de alerta para duas condições que merecem cuidado na sua saúde bucal: a gengivite e a periodontite.

Quiz Invisalign

A gengivite é o primeiro estágio da inflamação da gengiva e, quando não tratada, ela pode passar para o próximo estágio: a periodontite. Assim, a gengivite pode ser definida como uma inflamação da gengiva que, quando não tratada, pode progredir e atingir o osso alveolar, responsável por envolver e sustentar os dentes. Quando há envolvimento de osso, tem-se instalada a periodontite.

Toda gengivite é causada pela presença de placa bacteriana que, se não removida diariamente com a escovação correta, permite o desenvolvimento de quadro infeccioso.

A periodontite já é um estágio progressivo da inflamação gengival, quando a doença atinge os ossos e as fibras que sustentam e mantêm os dentes na nossa boca. Infelizmente, é difícil que o paciente venha a notar que, ao redor da gengiva, comece a se formar uma bolsa que armazena os detritos e as placas. Quando essa situação não é tratada, a pessoa pode, inclusive, perder os dentes.

Quais os sintomas e sinais da gengivite?

Embora o sangramento gengival seja um dos indícios mais fortes, também existem outros sintomas que indicam a presença da gengivite, como:

  • Gengiva vermelha e inchada;

  • Dentes que parecem alongados devido à retração gengival;

  • Gengiva mais afastada dos dentes;

  • Pus ao redor dos dentes e também na bolsa gengival;

  • Gosto ruim na boca e mau hálito constante;

  • Sangramento gengival ao escovar os dentes ou passar o fio dental.

Se a doença periodontal estiver presente, esses sintomas ficarão intensificados, principalmente o mau hálito, mas, raramente haverá dor. Quando ocorre de surgir dor o paciente pode estar num estágio avançado e preocupante.

É possível tratar a gengivite e a periodontite?

Nos casos iniciais de gengivite, é possível que a doença regrida apenas com uma escovação melhor e com o uso constante do fio dental. Mas, em alguns casos, poderá ser necessária a remoção de tártaro em consultório odontológico e o controle da infecção, até mesmo com antibióticos.

Se, apesar disso, não for possível controlar ou reverter os danos causados, pode ser necessária sessões de raspagens subgengivais e até de periodontal. Lembrando que a prevenção é sempre o melhor tratamento e, nesse caso, bons hábitos de escovação e o uso do fio dental são fundamentais.

Agora que você descobriu por que ocorre o sangramento gengival, aproveite para conferir mais um post e conheça as 4 doenças dentárias mais comuns no Brasil!

Att, CD Dr. Alberto dos R Condé Jr crogo6411

Posts relacionados

Deixe um comentário

× Gostaria de agendar uma consulta?