Síndrome da ardência bucal: o que é e como tratar?

4 minutos para ler

Quem já sofreu com qualquer problema na boca ou dentes conhece a agonia e urgência em tratar o quanto antes. Afinal, essa é uma das áreas mais sensíveis do corpo e que é movimentada a todo momento. Agora, imagine ter uma dor permanente na boca associada a sensação de secura? Essa é a síndrome da ardência bucal, um mal que é bem mais comum do que se imagina. Descubra o que é essa doença, os sintomas e como tratar e prevenir no post de hoje!

O que é síndrome da ardência bucal?

Essa doença se caracteriza pelo desconforto na boca e sensação de queimação crônica. Devido ao clima, ela é muito comum durante o inverno ou em períodos de tempo muito seco, quando bebemos menos água ou desidratamos mais rapidamente.

As causas e tratamentos para essa doença são diversas e somente um bom profissional especializado pode determinar o melhor tratamento. Por isso, se for o seu caso, procure um dentista o quanto antes.

Quais os sintomas?

Além da dor e sensação de queimação na boca, é comum que pessoas que sofram da síndrome da ardência bucal sintam sensibilidade anormal durante a escovação, tenham a boca constantemente seca e, em alguns casos, notem o surgimento de aftas e pequenas lesões. Muitas vezes, o paciente também deixa de comer, já que o paladar é afetado.

Em casos não tratados ou extremos, pode se desenvolver outros doenças, como a xerostomia (falta de saliva) e distúrbios causados por fungos que habitam a boca, além de infecções bacterianas.

Quais são as causas?

A síndrome da ardência bucal pode ter diversas causas, entre elas, flutuações hormonais, doenças do sistema digestório, estresse extremo, problemas emocionais ou consumo de alimentos “agressivos” às mucosas da boca. 

Em alguns casos, mulheres que estejam entrando na menopausa podem sofrer com a ardência, uma vez que as mudanças de hormônios podem prejudicar a imunidade e produção de saliva. 

Como tratar?

Para iniciar o tratamento é necessário, primeiro, se consultar com um dentista que vai realizar testes simples e exames clínicos para descobrir as causas da síndrome. Pode ser necessário realizar exames de saliva e mesmo de sangue, no caso de mudanças hormonais. 

Quiz Invisalign

Em alguns casos, pode ser difícil chegar a um diagnóstico, pois outras doenças presentes podem influenciar os resultados. Se a causa estiver relacionada a doenças psiquiátricas ou estresse, é necessário que seja realizado um diagnóstico multidisciplinar. 

O tratamento, em geral, consiste em manter a boca mais hidratada, tomando água frequentemente ou usando medicamentos que incentivem a salivação ou aliviem a dor. Se a causa for hormonal, existem medicamentos que o médico indica, diminuindo o impacto das mudanças. 

Porém, quando a síndrome surge de causas emocionais e psicológicas, o tratamento pode exigir diversas medidas, como a busca por terapias, uso de ansiolíticos e consultas a especialistas. De um modo geral, hábitos de vida saudáveis também podem auxiliar na recuperação. 

Todos estamos sujeitos a desenvolver a síndrome da ardência bucal, por isso, é importante estar sempre atento aos sintomas e buscar ajuda o quanto antes. Manter os dentes sempre limpos e o corpo e boca hidratados auxiliam na prevenção desse incômodo. Com informação e o tratamento adequado, a síndrome da ardência bucal pode ser resolvida rapidamente.

Gostou desse post? Receba nossos conteúdos sobre saúde bucal por e-mail assinando a nossa newsletter!

 

Att, CD Dr. Alberto dos R Condé Jr.

CROGO6411

Posts relacionados

Deixe um comentário

× Gostaria de agendar uma consulta?