Você sabe o que é enxerto ósseo dentário? Descubra aqui!

4 minutos para ler

Doenças bucais e condições que afetam a estrutura do dente podem inviabilizar alguns tratamentos, como os implantes. Em razão disso, é preciso, antes, fazer uma correção por meio de um enxerto ósseo dentário. A perda óssea pode ocasionar a queda dos dentes, sendo que essa deficiência de tecido ósseo é causada por diferentes motivos, que vão desde acidentes até a falta de higiene bucal.

Apesar de ser um procedimento sério, ele é bem simples e pode ser feito no consultório do dentista. Entretanto, requer cuidados durante o procedimento e pós-operatório. Confira, a seguir, os tipos de enxerto ósseo dentário, quando é necessário e o processo de recuperação.

O que é o enxerto ósseo dentário?

O enxerto ósseo é um procedimento que consiste na reposição óssea na maxila ou mandíbula. Essa implantação para reparo pode ser feita com o próprio osso de um local da mandíbula ou por materiais artificiais que são biocompatíveis.

Para esse processo, o dentista fará, antes, um planejamento para verificar o tamanho do espaço que precisa ser preenchido com o tecido ósseo. O enchimento da área que perdeu espessura ou altura vai ajudar na estabilidade e fixação do implante. O osso em volta do enxerto, se não houver rejeição, vai se ajustar em aproximadamente seis meses.

Quando e por que esse tratamento é necessário?

Ao passar dos anos, a perda óssea pode acontecer por diferentes causas. As principais e mais comuns estão relacionadas a problemas de saúde, doenças e inflamações bucais, acidentes e até mesmo pela falta de higiene e de cuidados diários.

A perda dos dentes faz com que os vizinhos se juntem, na tentativa de fechar aquele espaço. Esse movimento de união faz com que o osso ceda e cause a perda óssea. Esse processo inviabiliza a colocação de implantes, sendo necessário fazer um enxerto ósseo dentário para que próteses possam ser colocadas.

Quais são os tipos de enxerto ósseo dentário?

Com o surgimento de novas tecnologias e procedimentos, é possível optar entre três comuns e diferentes tipos de enxerto ósseo dentário. Veja quais são!

Autógeno

O enxerto autógeno utiliza pedaços de ossos retirados dos próprios pacientes. Essa extração é comumente feita na mandíbula (região do queixo) e na parte traseira da boca, onde ficam os dentes sisos.

Quiz Invisalign

Esse procedimento é pouco utilizado e as chances de rejeição são mínimas. Após o enxerto ósseo dentário autógeno, os implantes podem ser realizados em quatro a oito meses. Mas, como costuma ter um pós operatório de muito mais inchaço, a maioria dos pacientes prefere o enxerto heterógeno.

Heterógeno

Também conhecido como enxerto ósseo dentário xenógeno, esse procedimento utiliza a matriz de um osso bovino ou sintético, que é produzido de maneira industrial. Para isso, o material vem em pó e é bastante utilizado por conta do custo biológico ser menor do que a remoção do osso do próprio paciente.

O enxerto heterógeno apresenta baixa taxa de rejeição pelo paciente, mas requer muito cuidado, conhecimento e técnica por parte do dentista. Afinal, como tudo em Odontologia, tudo deve ser feito com indicação e qualidade para evitar problemas.

Qual é o tempo de recuperação?

O tempo de recuperação dependerá do tipo que foi realizado. No entanto, normalmente, esse período varia entre 4 a 12 meses para a liberação total do implante. Além disso, a regeneração também depende dos cuidados do paciente. Então, siga rigorosamente todas as orientações do seu dentista de confiança.

O enxerto ósseo dentário é um procedimento muito comum entre os profissionais. Porém, é preciso contar com consultórios especializados e ter bastante cuidado no pós-operatório, a fim de evitar complicações e resultados indesejados.

Ficou com alguma dúvida ou precisa fazer algum procedimento nos dentes? Então, entre em contato conosco, conheça nossos serviços e agende uma consulta!

Att.,

CD Dr. Alberto dos R. Condé Jr.

CRO-GO 6.411

Posts relacionados

Deixe um comentário

× Gostaria de agendar uma consulta?